Autor: Luiz Marques

Luiz Marques é docente de Ciência Política na UFRGS, ex-Secretário de Estado da Cultura no Rio Grande do Sul

O passado dura muito tempo

O título do texto é uma paráfrase reversa da autobiografia de Louis Althusser, “O futuro dura muito tempo”.

Leia mais

            Não basta dizer não

Dizer “não” à necropolítica e ao necropoder significa recusar o arcabouço estrutural que descuida do planeta, provoca poluição, guerras e, ainda por cima, incrementa as desigualdades entre as classes sociais e reproduz os líderes autoritários.

Leia mais

O ovo da serpente

Psicopatas consideram normal o ex-presidente manter na cabeceira as memórias do ex-chefe do Doi-Codi (1970-1974), o torturador condenado pela Justiça.

Leia mais

Mídia e transparência

Mídia brasileira jogou holofotes em um ex-juiz, enaltecendo-o como herói, com vistas grossas às ilegalidades, conluios e métodos de tortura da Operação Lava Jato para extrair delações pré-fabricadas.

Leia mais

Vida, trabalho e dignidade

A besta humana desse período de decadência imperialista gozará com os escombros palestinos na Faixa de Gaza, na reprodução metonímica de Guernica. Nosso desafio é desconstruir a história da desigualdade no mundo. O sonho não morreu.

Leia mais

O poder das metáforas

Para Herbert Marcuse, “o capitalismo é capaz de absorver as críticas”.

Leia mais

A manipulação da verdade

A verdade produz a contramentira; a luta produz a consciência. O leme-leitura singra mares agitados.

Leia mais

Publicidade & Capitalismo

Beneficiando-se dos recursos da Big Tech para manipular o desejo das pessoas, as corporações capitalistas conquistaram não esse ou aquele setor, mas o mundo; em vez de uma coluna semanal, o próprio controle dos meios de comunicação.

Leia mais

Os sinais da paz

Que 2024 seja o ano da reconciliação (sem anistia) no Brasil, e da fundação do Estado da Palestina. Brindemos.

Leia mais

As ilusões telemáticas

É preciso mobilizar a sociedade civil em apoio à regulação da internet contra as fake news, com uma legislação mundial para equacionar democraticamente o problema, através de balizas civilizacionais consensuadas. O presidente Lula busca envolver o G20 na luta, em 2024.

Leia mais